terça-feira, 27 de março de 2012

Jogos Vorazes


Com o lançamento de jogos vorazes resolvi comentar sobre o assunto, primeiramente eu ainda não assisti o filme no cinema T.T muito triste eu sei mas eu realmente prefiro fazer o post antes porque quero comentar como quem leu o livro. Assim que eu vi o poster fui correndo atrás do livro e li e achei fantástico, minha vontade é que o filme fiquei ótimo porque o misto de ação e política é tipo um Assasins Creed da vida sabe hehehehe. A estética no filme vai ser algo MUITO importante e isso eu tenho certeza pelo fato que no livro a estética já tem um papel gigante e para transportar esse mundo fantástico do filme será necessário uma estética fabulosa. Cada distrito tem suas características específicas como quando mundo apocalípticos são descritos, sendo assim tudo tem que ser bem remodelado igual Game of Thrones que é um mundo fantasioso. O livro tem bastante comédia também e espero que isso seja bem colocado junto com o romance mas que não se sobressaia mais que o necessário. Sei lá essa frebe de romance e neguinho querendo comparar com Hp e Crepúsculo poderia acabar influenciando, eu espero que não. O filme tem tudo para dar certo e pelos trailers que vi vai dar certo, sem contar que um dos papeis mais interessantes do livro na minha opinião está com um ator que eu gosto MUITO MESMO, portanto vamos ao cinema naquela expectativa.
Eu como leitora do livro só tenho a desejar que seja tudo ótimo, mas claro não vou cobrar perfeição porque o livro é um tipo de mídia e cinema é outra tem que haver mudanças para se encaixar algo de uma na outra. 
É isso ai galera, eu super recomendo lerem o livro e assim que for no cinema volto para contar o que achei mesmo.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A prévia exclusiva de The Amazing Spider-Man

Antes de mais nada, preciso agradecer ao Omelete pela realização da promoção que me levou pra assistir a prévia de O Espetacular Homem-Aranha. O evento aconteceu hoje, às 18h, no Cinépolis Lagoon, no Rio de Janeiro. Além de jornalistas, convidados e vencedores de promoções, os fãs que chegaram mais cedo com o ingresso do site da prévia do longa também participaram desse momento único.
A exibição ocorreu simultaneamente em diversas cidades do mundo, mas somente algumas contaram com a ilustre presença de produtores e atores do filme, inclusive o Rio de Janeiro. O diretor Marc Webb e os atores Andrew Garfield (Peter Parker/Homem-Aranha) e Rhys Ifans (Dr. Curt Connors/Lagarto) estavam em Nova York, Los Angeles e Londres. Na cidade maravilhosa, os produtores Avi Arad e Matt Tolmach compareceram acompanhados da espetacular (com trocadilho) Emma Stone (Gwen Stacy).

Para começar, foi exibido o trailer exclusivo em 3D do longa, completamente filmado por câmeras apropriadas para o estilo. Foi um sucesso. Em meio aos gritos de aprovação dos fãs, é perceptível o ótimo trabalho feito com o 3D, as cenas de ação proporcionam ótimas emoções e as mais tranquilas conseguem aproveitar a profundidade dos planos que é realçada pela técnica. Andrew Garfield apresenta um Peter Parker mais descontraído que o de Tobey Maguire e o humor parece mais presente nessa versão, mas muita ação e conflitos dramáticos entre os personagens também estão lá, muito bem inseridos na trama, por sinal. A relação do policial pai da Gwen com o protagonista é bem interessante e merece destaque.
Depois, cada um dos convidados respondeu a uma pergunta relacionada ao trabalho no novo filme do aracnídeo. Marc Webb precisou explicar as diferenças entre seu longa e o de Sam Raimi, que é muito querido pelos fãs da série. Para o diretor, o principal diferencial é que o seu apresenta os pais do herói ao público, o que torna as motivações de Peter mais íntimas e pessoais, uma vez que vilão dessa história era um antigo amigo do pai do jovem. No Rio, Emma Stone diz que a principal diferença entre sua personagem e Mary Jane é que, enquanto a ruiva parece se apaixonar por Homem-Aranha, o herói, Gwen gosta mesmo é do Peter. Para finalizar, Andrew Garfield (extremamente nervoso) conta que aceitou ser o protagonista do filme porque muitos se sentem como Peter Park. Ressaltou também que é um filme feito por quem estava ali nas salas de cinema, destacando a importância dos fãs para a história. O ator terminou com uma referência ao novo Homem-Aranha dos quadrinhos, dizendo que Tobey vestiu a roupa no passado, hoje ele veste e espera que no futuro um cara meio-negro e meio-latino o vista.

Quando o fim do evento parecia ter chegado, Marc Webb anuncia a exibição de cenas inéditas do longa, ainda não terminadas (é possível ver o cabo de sustentação de Andrew em algumas cenas de ação e o “fundo verde”), em 2D mesmo, mas que, segundo o diretor, precisavam ser mostradas aos fãs. As primeiras cenas mostram Peter em uma fracassada tentativa de defender um colega do colégio do bullying e sua relação com Gwen em uma conversa no corredor, os dois visivelmente gostam bastante um do outro. O futuro herói encontra uma pasta perdida de seu pai e questiona os tios (Sally Field como uma tia May completamente parecida com sua personagem em Brothers & Sisters), começa uma investigação, conhece o vilão da história e “consegue” os super-poderes. As cenas com o aracnídeo “se descobrindo” continuam com o tom de humor existente no filme de Sam Raimi. A ação começa e os momentos exclusivos do filme se misturam com o trailer exibido no começo, arrancando o fôlego da plateia pela segunda vez. E todos, ainda arrepiados, batem palmas e gritam ao fim da sessão. O filme já é um sucesso antes mesmo de ser lançado.

O trailer tá aí embaixo, não sei se e nem quando as cenas exibidas no evento serão divulgadas, mas devem sair logo pela internet (eles proibiram a entrada até mesmo com celulares dentro das salas, mas não acho que ninguém conseguiu entrar com um aparelho que filme). O tão esperado reboot só chega às telonas no dia 3 de julho e a ansiedade faz parte, é claro, mas todos os que se preocupavam (tipo eu) com o renascimento do herói podem relaxar, já está mais do que provado que Marc Webb deixou O Espetacular Homem-Aranha em ótimas mãos.

Obs.: Todos os presentes ganharam blusas extra-grandes do evento.

Grey's Anatomy - 8x13 - If/Then

So how about tonight you're not McDreary? You're just... You're just a guy in a bar.
Eu sou fã o suficiente de Grey’s Anatomy pra dizer que a série nem sepre acerta quando resolve fazer um episódio fora do padrão (o do flashback é um exemplo dessa falha), mas esse da realidade alternativa foi tão bom de ver. Fora que é uma das maiores homenagens que os criadores já fizeram pra quem assiste. Sensacional.

Cheio de falas e músicas que foram marcantes ao longo da série. Personagens queridos de volta. Claro que teve uma coisa forçada ou outra meio sem sentido, mas e daí? Todo mundo gostou de Meredith e Alex noivos.

A única coisa que me irritou um pouquinho foi a maneira da Sandra Oh de fazer a Cristina bitch, ela foi muito robótica, andava toda reta e olhando pro nada, né? E como é bonito ver que a história seria “a mesma” na outra realidade, né? Derek e Meredith, Cristina e Owen, Callie e Arizona... Show!

Eu poderia fazer um post gigante falando de cada uma das histórias, cada um dos relacionamentos, mas seria puxar mais o saco de Shonda Rhimes ainda. Vou esperar mais um pouco. E que venha o episódio do dia dos namorados.

Obs.: Palmas para a explicação de como George e Izzie deixaram o hospital, ri muito.

Parks And Recreation - 4x14 - Operation Ann

Oh, Ann, you beautiful spinster, I will find you love.
Enquanto 30 Rock segue se salvando com uma cena genial por episódio e eu não canso de falar disso, Parks And Recreation faz episódios excelentes e seguidos, sem defeitos mesmo e você ri em algum momento de todos os plots.

Leslie e toda a sua vontade  de encontrar um namorado pra Ann, que ela ama mesmo, foi sensacional, Chris deprimido como DJ da festa e fazendo a balada mais deprê que existiu foi incrível, e quem resolver falar mal de Ron todo feliz decifrando os enigmas merece apanhar.

Mas será que esse lance da Ann com o Tom é sério ou foi só pra fazer graça? Tenho medo dessas relações entre principais estragarem a série, mas confio em tudo e essa, como eu já disse, já tomou o lugar da minha comédia no ar favorita.

Mas amo muito 30 Rock, tá?

domingo, 5 de fevereiro de 2012

30 Rock - 6x05 - Today You Are A Man

He's a white male with a hair, Lemon. The sky's the limit.
OK, o Kenneth já cansou... E muito. E o plot do Tracy com a Jenna não foi o melhor de todos os tempos (muito longe disso). Mas tudo está bem quando ainda existem Tina Fey e Alec Baldwin.

Sério, alguém não riu com Liz usando todos os truques do Jack para fechar um acordo (incluindo não mover o cabelo) e do Jack simulando uma conversa entre ele e a Liz imitando ele? O Baldwin tá de olho no Emmy de novo, só pode. Tão bom quanto o episódio em que ele resolve incorporar todos as pessoas que moravam com o Tracy durante a terapia.

O problema é que 30 Rock tá tão com altos e baixos, que dá medo de dizer qualquer coisa sobre o futuro da série. Mas dizem que a esperança é a última que morre, certo?

The Big Bang Theory - 5x15 - The Friendship Contraction

Sheldon, that's not what girlfriends are for... Although, you don't use them for what they're for, so what do I know?
Eu simplesmente amo quando The Big Bang Theory resolve focar no Sheldon por um episódio inteiro, por mais que todo mundo fale que o personagem cansou. Pode ser repetitivo, mas quem quer saber de Leonard e Penny quando tem o acordo da divisão do apartamento no plot?

O episódio já começou bem com a história da simulação de desastre que o Sheldon faz a cada dois meses e foi mergulhando ainda mais em piadas boas e referências à Toy Story. Até a história paralela (do apelido do Howard) tava boa. Isso sim é um bom episódio da série.

Are You There, Chelsea? - 1x04 - Strays

Olivia... We don't like her that much.
Parece que a série conseguiu acertar os pontos que faltavam e tomou um estilo próprio, mesmo que 90% das piadas sejam sobre sexo e álcool, já perceberam? O episódio foi tão bom, que funcionou mesmo sem a criadora participando. E nem teve muito da Dee Dee, mas queria ver a continuação da história do namorado do episódio anterior.

Teve Nick bêbada e todas as garotas fingindo uma super amizade, Chelsea com o cachorro, vovó simpática... Tudo muito bom! Só os caras do bar que ainda são mega caricatos e forçados, mas dá pra engolir. Bom episódio!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Glee - 3x11 - Michael

Hey, Kurt, I didn't recognize you. You're wearing boy clothes.
Gosto de ver que ainda sabem fazer um episódio muito legal de Glee, mas são tantas oportunidades desperdiçadas... Foi um episódio de altos e baixos, não tem como voltar a achar a série legal desse jeito.

Não se pode, por exemplo, colocar um personagem que foi tão destruído pelos roteiristas como a Quinn pra dar lição de vida na Rachel, por mais que a mensagem seja bacana. Não dá pra não ter Sue e Brittany num episódio que foi feito pra ser bacana, e quase conseguiu.

Tenho medo da história do casamento virar uma bagunça completa, com idas e vindas da Rachel, mas a história das universidades funcionam muito. Aliás, palmas pra atuação da Lea Michele quando o Kurt vai dar a notícia de que foi aprovado, muito boa mesmo.

A homenagem ao Michael foi bonita (mesmo com Scream me dando um pouquinho de vergonha alheia), mas não sei qual é o motivo de Glee não me fazer mais correr pro 4shared pra baixar as músicas depois de ver o episódio... E isso é triste.

Os Três Mosqueteiros

Estou sem internet e nesses momentos você resolve assistir todos os filmes que você "comprou" no google e ficaram lá jogados em alguma pastinha do seu HD. Nessa procura louca por um filme e após lembrar da lista do Tarantino resolvi assistir o tal filme dos mosqueteiros, claro esperando um filme chato, sem grandes ações, com lutas chatas demais de espada. Enfim eu esperei um filme péssimo só para resumo da ópera e para não ficar falando 5000 para vocês.

Voltando ao assunto do filme a questão é a seguinte, eu assisti o bendido do filme e nossa me surpreendi muito, o filme é super divertido e eu gostei das cenas de luta que irei comentar mais detalhadamente e da trilha sonora. A trilha sonora por sinal é bem divertida, eu até quero comprar ela depois, assim foi do meu agrado e ela encaixou no filme, porque você pode fazer uma trilha fantástica se ela não casa com a cena já era.  Quem já jogou Assasin's Creed Brotherhood deve gostar bastante do filme, porque lembra bastante os Bórgias do jogo em algumas partes. Falando em Assasin's Creed as lutas do filme me lembram e MUITO as cenas de luta super legais de Assasin's Creed, não são lutar paradas com espadas, achei legal terem fantasiado um pouco as lutas com cenas de acrobacia junto. Eu acho que fica mais divertido e bonito de se ver né.


Todos os personagens são bem diferentes do que eu esperava dos três mosqueteiros, são mais simpáticos, lutam bem mais interessante e cada um tem uma habilidade gostei disso. Sempre vi eles como um grupo de três caras que lutavam bem com apenas uma arma, neste filme isso cai por terra. No filme temos o que é melhor em stealth,  o outro que é a força bruta, um que é mais veloz o outro que tem a estratégia. Isso deixou a história muito mais interessante e com uma infinidade de novas abordagens que podem ser feitas. Para um fim de semana com toda a família eu super recomendo este filme, todos vão se divertir e acho muito dificil alguém não gostar. Não senti grande apelo sexual no filme assim crianças podem assistir com os pais também e eu achei isso ótimo, porque querendo ou não os três mosqueteiros ficaram famosos com seus filmes para crianças e depois filmes mais adultos. Uma coisa bem legal é ver a maquina criada por Leonardo Da Vinci, eu achei legal porque eu sou fã dele e das engenhocas que ele arquitetou e projetou. Filmes dessa época são super divertidos acho que mais por isso, pelas coisas que os pensadores criavam, enfim assistam o filme que é bem legal se eu desse uma nota seria 8,5

House Of Lies - 1x04 - Mini-Mogul

What would Clooney do?
Esse episódio foi o mais legal até agora, né? Ou o único? Não teve muito do protagonista e teve muito de Jeannie e Doug. Mas teve o filho do protagonista e recursos descolados novos, tipo o texto na cena do Clooney.

O caso da semana foi normal, não dá pra ligar muito e você nunca acha sensacional o jeito como a equipe manipula a situação para o próprio bem, por mais que eles se esforcem pra isso. Mas enquanto o Clyde continuou a ser o mala, o protagonista teve momentos bons, com raiva da ex-esposa, por exemplo, e quase não foi chato em uns 10 segundos do episódio.

E é indiscutível que Josh Lawson e Kristen Bell salvam a série. O cara pega umas cenas muito ruins, mas é compensado por momentos como o em que ele conta a história dele pro filho do Marty e “fingindo” que é a vida do Justin Bieber. Mostrar a vida pessoal da Jeannie foi o maior acerto do episódio, ela vai casar e esconde de todo mundo, fica com outro cara e não considera trair, dança de roupas íntimas e depois se encara no espelho sem entender o que está fazendo... Muito legal!

E, por falar em Kristen Bell, eu sei que já tá meio batido, mas o vídeo dela na Ellen Degeneres e a história da preguiça é muito bom, sério. E que venham mais episódios como esse em House Of Lies.